Páginas

domingo, 16 de outubro de 2011

Gênio - 100 Autores, de Harold Bloom


Harold  Bloom é o que podemos chamar de crítico literário polêmico, Shakesperiano ferrenho, adorador do inventor do humano, diga-se Shakespeare e incitador da fúria dos fãs de Harry Potter onde diz que os livros do "feiticeirinho" emburrecem as crianças e todos que gostam dessa literatura, digo "todos" no sentido que Bloom não delimita a Literatura em faixa etária, o que concordo plenamente. E para contrapor o personagem feiticeiro, Bloom lançou Contos e Poemas para Crianças Extremamente Inteligentes de Todas as Idades, perceberam?, o Professor Bloom, da Universidade de Yale, NY, não é nada modesto, ele chega chegando. Tem um séquito de alunos pesquisadores, ou seja, tem bala na agulha, ou melhor seria dizer, tem tinta na pena, ou então é só registrar mesmo que ele gosta do que faz.
Cito este Harold Bloom que escreveu Gênio, Os 100 Autores Mais Criativos da História da Literatura - 2003, Tradução de José Roberto O`Shea - 828 páginas, Ed.Objetiva. Quando li esta Bíblia da Literatura fiquei fascinada, Harold Bloom divide o livro em 10 partes, ele usa elementos da cabala para exemplificar seus Autores Escolhidos. Bloom mesmo diz que ele escolheu os autores que bem quis, eu adoro essa ousadia. Voltando ao livro, essas divisões funcionam como dois conjuntos de "lustros", ou seja, o autor mostra 5 Autores Clássicos e subsequente os 5 Autores que se espelharam nesses 5 primeiros do conjunto.
Há 10 conjuntos de lustros numerados em ordem cardinal. O mais fantástico é que no conjunto [9] do lustro aparece nosso Machado de Assis, único autor brasileiro, citado por Bloom "A genialidade de Machado é manter o leitor preso à narrativa, dirigir-se a ele frequentemente...[...]"
Dentro desses 100 Autores aparece Eça de Queirós e mais 98 autores maravilhosos, cada um com suas peculiaridades e só lendo mesmo.
O que de início já notei é que não aparece José Saramago, um Nobel de Literatura, que confesso, já li alguns livros e não consigo gostar nem das obras e nem do homem. Harold Bloom foi criticado por esse ato insano de não usar o Sara[mágico], mas o crítico nem se deu muito ao trabalho, como falei no início ele é ousado e escolheu os autores que gosta e segundo alguns jornalistas, Bloom disse em bom som que não gostava de escritor comunista, se é verdade não se sabe ao certo, mas o livro é dele e posso dizer que é Genial!

Sandra Puff

P.S.: Para elucidar alguns pontos sobre Harold Bloom e sua Personalidade deixo um link da Revista Época. Eu suavisei os adjeivos, rss, mas o mais importante de tudo isso foi o livro que Bloom escreveu, claro que ele poderia ser mais sociável, e por ironia do destino, vai uma máxima de Saramago, de Ensaio Sobre a Cegueira, "Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."

27 comentários:

  1. Sandra querida,

    Bela resenha! Só fico de pé atrás com o autor (quem sou eu? rsrs) pela afirmação de "não gostar de escritor comunista". Eu também já tive tanto preconceito com autores!!! Agora mesmo acabo de descobrir o quão belo e sábio é Khalil Gibran, um dos autores que não lia por preconceito formado em algum momento, nem sei como. Mas vou procurar "Gênio, Os 100 Autores Mais Criativos da História da Literatura" não quero cometer o mesmo erro!
    Girassóis nos seus dias. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Bom dia,Sandra!!

    Um escritor bem autêntico!Diz o que pensa, e respeito muito isso!(mas li e gostei muito do Harry!!!rsrsr Mas não me sinto menos inteligente por isso...).
    Mas olha que sintonia interessante...hoje postei Eça de Queiroz e vim lhe dizer que seu blog é meu destaque da semana!
    *Tem selo de destaque,é opcional, sei que nem todos gostam de selos e deixo livre.
    beijos pra ti!!Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Celina!
    Belo Ponto de Vista o seu...também concordo, como resenhei o Sr. Bloom é ousado, um professor pesquisador já com uma idade avançada e deve ter os motivos dele..rsss, mas garanto que Max e Engels não estão no Gênio. Bloom é muito controverso, brigou com uma nação por causa de Harry Potter...rs[de alguma forma gosto dessas pessoas e suas convicções, porém nesse meio de literatura de massa há muitas controvérsias], mas em se tratando do Sr. Saramago ele decepciona mesmo, talvez não pela escrita, é um gênio, embora os livros que li " Todos os Nomes", "O Homem Duplicado", "O Evangelho Segundo Jesus Cristo", "Levantado do Chão" e "Ensaio sobre a Cegueira", sejam poucos diante de tudo que Saramago escreveu e mesmo assim é uma literatura pouco "atraente" para mim, ao meu gosto.
    Quanto ao escritor comunista, é muito fácil Saramago dizer-se como tal, se auto exilar-se, mas eu realmente queria vê-lo tendo sua alimentação racionada como o povo de Cuba o tinha quando o mesmo levantava a bandeira do comunismo, queria vê-lo não poder sair de suas Ilhas Canárias[cenário paradisíaco], ou seja, ter o direito de ir e vir para fazer suas famosas palestras todo cheio de si. Levantar bandeiras pode ser fácil, queria vê-lo vivenciando tudo isso que ele apoiava. Talvez fossem esses reflexos que ofuscaram demais Saramago, na opinião de Harold Bloom.
    Mas é isso, a questão levantada é ótima, só acrescentou...
    Abraços,
    Sandra,

    ResponderExcluir
  4. Fantástica dica minha querida... gosto muito de pessoas como H. Bloom, objetivas, autenticas, ousadas.
    Penso que há gosto para tudo, há livros que nos divertem e há outra classe de livros que com certeza são os que ele classifica como geniais, pelo modo que foram escritos, conteúdo, tema, trama bem elaborada, envolvente.
    Gostei de ver Machado de Assis sendo um dos citados.
    Tenha uma bela semana Sandra...beijinhos meus e da Julie, agora também tirando um soninho, para você e para o fofinho do Mr. Pingo...
    Valéria

    ResponderExcluir
  5. Oi, Sandra.
    Gostei mais uma vez de ter lido seu texto. Também admiro as pessoas autênticas, que não titubeiam em função das opiniões alheias. Quanto a mim, também sou apaixonada por Machado de Assis, mas não concordo com as críticas sobre Saramago. Admiro muito as idéias dele, até porque o dito 'comunismo' defendido por ele não são os fracassos que conhecemos na Rússia ou no Leste Europeu, nem as misérias de Cuba. Era um comunismo ideal (se é inatingível, nem por isso vamos deixar de buscá-lo, para que cheguemos o mais perto possível), o de não haver exploração de um ser humano sobre o outro, o de não haver dominação por religião ou qualquer outra forma de poder, o de reconhecer que somos todos falhos e caolhos e que precisamos todos nos ajudar. Acho que é por aí...
    Abração!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sandra! Faz tempo que estou com vontade de ler "Contos e Poemas para Crianças Extremamente Inteligentes de Todas as Idades". Agora você me convenceu de que tenho que ler mesmo. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Regina M.
    Que bom que gostou do texto...Adorei sua resposta, é isso mesmo o blog serve para colocarmos nossos pontos de vista, temos em comum "O Bruxo do Cosme Velho"[Machado]...
    E Saramago gostei de ver você defendendo-o, bem verdade que a crítica é de Bloom e eu, simples mortal, concordo pelas minhas razões e por gosto próprio.
    Mas como você mesmo pontua, os comunismos falidos, há que ressaltar que só Saramago viu esse comunismo ideal, uma utopia, veja-se que Rússia, Leste Europeu, Cuba não são modelos, mas de qualquer forma gostei do que você disse sobre a não exploração, a não dominação...podemos chegar lá, mas o próprio Saramago era um caminho tortuoso para isso, acredito que na ficção sim.
    Abraço,

    ResponderExcluir
  8. Há gente que se alinha com o "politicamente correto" e há os que, pelo simples prazer de discordar, cerram fileiras do outro lado. Uns poucos defendem a unhas e dentes seu direito de ter opinião própria. Você me diz que o Sr. Bloom é um desses, e eu acredito em você - pelo menos até ter oportunidade de firmar minha própria opinião.
    Abraços.

    PS: Não acredito na Cabala ou na Numerologia, mas acredito nos numerólogos - os autênticos.

    ResponderExcluir
  9. Esse escritor não manda assoprar:diz logo e na cara...


    Boa dica!!!beijos,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  10. Pelo que observo, H. Bloom é um autor genial , mas um tanto vaidoso e faz críticas fortes quando discorda de algo. Creio que toda e qualquer crítica deve ser branda e com a intenção sempre de construir. A ousadia de Bloom pareceu-me um pouco arrogante. É apenas uma opinião e posso estar enganado.
    Tenha uma boa semana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, Pessoal...
    Que polêmico o Harold Bloom, hein?, mas as polêmicas nos trazem perguntas, e perguntas geram pontos de vistas diversificados...Adoro!

    P.S.: Para elucidar alguns pontos sobre Harold Bloom e sua Personalidade deixo um link da Revista Época. Eu suavisei os adjeivos, rss, mas o mais importante de tudo isso foi o livro que Bloom escreveu, claro que ele poderia ser mais sociável, e por ironia do destino, vai uma máxima de Saramago, de Ensaio Sobre a Cegueira, "Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."

    http://www.revista.agulha.nom.br/hbloom.html

    ResponderExcluir
  12. Oi Sandrinha...

    Eu não consigo ler Saramago..rs
    Eu empaco..não é pra mim.. e costumo não forçar quando sinto que a leitura "não vai"..

    Quanto ao HArold Bloom e lendo sua resenha tão bem escrita é uma das minhas próximas leituras ( culpa sua ). Depois te conto o que eu achei!!

    Obrigada pelo carinho de sempre lá no meu blog viu?

    ResponderExcluir
  13. Olá Puf-puf!!!!

    Passando pra deixar uns beijinhosssss de rosas ta !!!!

    ResponderExcluir
  14. Sandra
    Como é bom te acessar.Seu espaço sempre é elucidador.Harold Bloom falando de Saramago e Série Harry Poter ainda complementado pela Revista Época. Interessante. Tenho um livro de Saramago que está esquecido na instante. Só sei que não tive interesse de ler pela forma da escrita.Depois de 4 ou 5 páginas desisti.

    Mas gostei do filme" Ensaio sobre a Cegueira"
    dirigido por Fernando Meirelles que passou aqui
    em São Paulo.

    Você me instiga a procurar Bloom nas Livrarias "Genio,os 100 autores mais criativos da História da Literatura" e" Contos e Poemas para crianças extremamente inteligentes de todas as idades"

    Amei
    Obrigada
    Beijusss

    ResponderExcluir
  15. Sandra,
    passei a chegar aqui munida duma agenda, para anotar essas dicas fantásticas que vc resenha tão claramente.Confesso,até agora nunca tinha ouvido falar do Sr. Bloom, mas já fiquei de sobrancelha em pé devido as posturas relatadas.Porém,longe de mim cultivar preconceito literário ou outro qualquer, se fui tocada pelo autor(a)ou tema, paro, debruço e leio.
    Preciso, isso sim, é me conter nos gastos, pois a pilha só cresce e a conta do cartão tbém(rs). Mas, como é difícil resistir quando uma obra te chama, né?
    Vou anotar o título e esperar pelo Natal.
    PS:Grata pelas gentis palavras comentadas lá no Fractais.Tbém sou louca por Eça e Èrico. Vai ver há algum feitiço na letra"E"(rsrs).
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  16. Oi Sandra, pelo que percebi "talvez" o Harold Bloom não goste muito de coisas que falam do lado espiritual, não sei...pq não o conheço bem, mas foi essa impressão que tive.
    De Saramago não li livros, só li algumas frases dele e gostei.
    Harry Potter não li, mas assisti todos os filmes e adoro, pois acredito na magia, não naquela literal que aparece nos filmes, mas na magia da vida onde temos o poder de criar tantas coisas.
    Vou lá dar uma olhada no que tem na revista, beijossss

    ResponderExcluir
  17. Gosto de Saramago e curto tbém Harry Poter ainda a série não tenha nada ver com a realidade gosto de vez por outra mergulhar no mundo mágico. Eu sou bastante eclética. Aprecie bastante tuas linhas, tua descrição do livro de Bloom "Genio,os 100 autores mais criativos da História da Literatura" despertou em mim a vontade de o ler.

    Seguindo-te! bjs

    ResponderExcluir
  18. Minha querida,gostei de sua dica e vou passá-la para meu filho que é o meu "financiador" de livros...e vou já para o seu link,saber mais coisas de Bloom.
    Gosto de Saramago e não vou discutir preferências.
    Suas postagens são sempre instigantes,um prato cheio para quem gosta de ler.Brilhantes.
    Bjssssssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  19. Oi querida!!!

    Seus posts são sempre tão interessantes, cada dia mais me surpreendo com sua forma leve e eficaz de escrever, sempre saio daqui com vontade de ler!!!

    Bjinhos!!!

    ResponderExcluir
  20. Minha querida

    Não li ainda nada dele, mas vou tentar ler e pelo que depreendi é o que se chama sem papas na língua.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  21. Oi, Sandra, eu não conheço esse autor, mas Machado de Assis e Eça de Queiroz, eu gosto!
    Tenho muito ainda a aprender... pego um pouco aqui, outro acolá e vou me alimentando de cultura.
    Obrigada pelo belo post.

    Beijos, ótima semana pra vc...

    ResponderExcluir
  22. Olá querida,
    Passei para deixar-lhe um beijo de boa noite.
    Parabéns pela resenha! Pelo que pude observar você é uma expert em literatura.
    Bitokas.

    ResponderExcluir
  23. Olá Sandra dos sapatinhos :)

    Achei interessante esse livro. É sempre bom ficar a par do que de melhor aparece na literatura.

    Bom, mas discordamos num pontinho pequenino. Pequenino porque 1 em 100 não é muito :)
    Sou super fã de Saramago. E não é por ele ser um Nobel não. Li grande parte de suas obras e fico fascinada com a imaginação desse escritor, para além de simpatizar com o formato incomum da escrita.

    A principio a pessoa ao ler os textos de Saramago, tem dificuldade em entrar no ritmo invisivel da marcação. Mas isso permite ao leitor criar um ritmo próprio de leitura na escrita alheia. É simplesmente GENIAL.

    Depois os Ensaios são propostas, novamente invisiveis, à expansão mental. Por exemplo o Ensaio sobre a Cegueira:
    Não é o máximo reflectir sobre uma cegueira branca? Uma Cegueira que aparentemente não sabemos se é contagiosa ou como é que o contagio acontece!

    Agora veja isto à luz duma cegueira de consciência social. Quantos não têm a consciência adormecida? Quantos não estão cegos?
    As pessoas não se apercebem que estão cegas porque a cegueira não é igual à outra, que nos remete à escuridão, que encerra nossos olhos...

    Nossa cegueira é de olhos bem abertos e na claridade do dia, mas por muito que se olhe, não se vê!

    Beijinhos e muito grata pela sua visita.
    Penso que agora que a colectiva terminou, terei mais tempo para visitar os sites que gosto.
    Rute

    ResponderExcluir
  24. Olá, Rute Querida,
    Que bom que gostou do livro. Eu tenho e recomendo.
    Adorei suas colocações, cabeças pensantes nos trazem aprendizados. Mas vamos falar de Saramago, sei que ele tem fãs pelo Mundo Todo.

    Você diz que não é fã por ele ser um Nobel, eu acredito que ser um Nobel faça toda a diferença, tem que merecer, tem que fazer a diferença e Saramago, que começou a escrever profissionalmente depois dos quarenta e poucos anos e o montante de livros e a inserir Magia, não é para qualquer um.

    Se você voltar na minha resenha perceberá que digo que não gosto do homem, e sua escrita embora, tenha lido bons livros dele, não me atrai, [sabe aquela coisa que pegar o livro comprar e guardar como joia?], mas também fiz um trocadilho como o nome dele Sara[mágico], pois não nego que a escrita dele é cheia de magia, então fechou, certo?

    Assim como você citou a escrita de Saramago é mesmo singular, as pessoas podem estranhar, mas acredito que também não é nada demais, a não ser para os gramatiqueiros de plantão ou para quem não consegue absorver o novo. Ele quis fazer algo diferente, sem pontos e nem vírgulas, parágrafos extensos....etc, etc..uma linguagem dele, mas lembro que nossa Clarice Lispector lá nos idos de 1945 já começou o primeiro parágrafo de um livro com uma vírgula, então não vejo nada de novo.

    Sobre "Ensaio Sobre a Cegueira", podemos um dia fazer um Post sobre o livro e debatermos, eu mesma já fiz um artigo sobre a cegueira branca, mas não vem ao caso aqui.

    Já enalteci as obras de Saramago, mas quando digo que não gosto do homem, é minha opinião, são apenas pontos de vista.
    Assim que ele fazia palestras no pós Nobel, "alguém" falaria antes dele e tomou alguns minutos do que era para ser do momento da fala de Saramago, então ele, assim que chegou a vez dele disse ao público que o "esperava" também, que sua fala já foi "dita" e não tinha nada para dizer, já falaram por ele, para frustração de todos. Não é assim que se trata os fãs, e sabemos que nessas mesas redondas literárias sempre há ultrapasso de minutos.

    Quando escreveu "O Evangelho Segundo Jesus Cristo", sabemos que é ficção, mas brincou e escarneou tanto com a figura de Jesus Cristo que o povo onde ele morava ficou muito chateado. Saramago não quis aguentar o "tranco" de seus atos, se exilou, oras bolas, consciência?

    Não discuto gosto, Saramago é um Mago das Letras, afirmo, não gosto do homem!
    Bjs,
    Sandra,

    ResponderExcluir
  25. Olá,Sandra!!

    Estava aqui lendo os comentários...quanta polêmica...rsrsr É muito bom trocar idéias e debater!!Uma ótima maneira de crescer!!
    beijos pra ti!
    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  26. Olá, Amigos Queridos...
    Obrigada pelos comentários e, de certa forma, fizemos um debate, muito expressivo.

    Para Isa:Realmente o Harold Bloom não passa uma boa impressão, você tem razão. Mas houve uma época em que poetas românticos estavam fadados a ficar na escuridão e Bloom sempre os defendeu, foi um defensor dos românticos, e ser romântico é acreditar no Amor, única fonte verdadeiramente Espiritual que conheço. Bjs,Amiga

    Para Clara: Amiga, se você gosta de Machado e do Eça, gosta de tudo que é bom. Te Adoro

    Para Vera: Obrigada pelo Apoio, você tem aqueles olhos que já falei.

    Para Vivian: Sou igual a você, rsss, adoro ler os comentários....bom, né?, bjs

    Para Patrícia: Também te acho linda, mas não postei seu comentário. Foi uma questão de interpretação.
    1. Não fiz comparações entre Livro e Cinema;
    2. Dom Casmurro não estava no Post e nem comentei sobre homossexualismo, traição ou tema de psicólogo.[isso renderia muito bordado]
    Bj, linda.

    ResponderExcluir
  27. Sandra, também adoro músicas, elas me completam, me enchem de harmonia e alegria.
    Os vídeos foram maravilhosamente selecionados, principalmente Madonna que adooooro!
    Feliz demais com você no Misturação.
    Mas me diz, onde tem o ícone de seguidores?

    Xerosssssssss

    ResponderExcluir

Obrigada!, Seu comentário sempre é importante!